Unidade da CNEC está fechada em Butiá

Com 60 anos de história, o IECPAC – Instituto Estadual Cenecista Professor Alcides Conter , tradicional escola particular de Butiá encerrou suas atividades no final de dezembro de 2017.

De acordo com informações da mantenedora, a CNEC, financeiramente a escola se tornou inviável. Em suas justificativas foram apresentados dados socioeconômicos do IBGE, previsão de crescimento do município e PIB. A escola que contava com cerca de 150 alunos, já foi a maior escola de Butiá, responsável pela formação de milhares de alunos, sempre oferecendo cursos pioneiros na cidade como magistério, técnico em administração, técnico em informática e técnico em meio ambiente.

Construída pela comunidade com apoio de pais, empresários e políticos, nos últimos anos a escola começou entrar em curva descendente perdendo gradativamente alunos para rede pública. Pela primeira vez na história em 2017 a escola iniciou o ano letivo sem turmas de Ensino Médio, que outrora tinha sido o carro chefe da instituição por décadas.

Em reunião com os pais, ainda em outubro do ano passado, a Diretora Maria Cristina Soares, apresentou os números financeiros da instituição, orientações e alternativas passadas pela CNEC. Por outro lado os pais ficaram totalmente descontentes com a forma que a CNEC passou a tratar a instituição, e acreditavam ter o direito de que seus filhos pudessem ter uma opção de ensino de maior qualidade em Butiá.

Foi feito um ato de mobilização por alunos, pais e ex-alunos, e o assunto chegou ao Legislativo. O vereador Joel Maraschin liderou um movimento formando uma frente parlamentar para tentar reverter a decisão.