Segue indefinida a situação dos trabalhadores da Iesa

Os trabalhadores envolvidos na crise da empresa Iesa Óleo & Gás, do Polo Naval do Jacuí de Charqueadas seguem sem uma definição sobre seus futuros. A audiência realizada nesta quarta-feira (03), na Justiça do Trabalho de São Jerônimo acabou sem uma solução para os trabalhadores. A reunião iniciou ás 15h e encerrou após ás 17h. Estiveram presentes na ocasião, o Sindicato dos Metalúrgicos de Charqueadas, o Consórcio Tupi, Iesa e Petrobras. O procurador Bernardo Schuch disse não acreditar em calote da empresa e aguarda uma nova posição da empresa para a próxima reunião que deve ocorrer na quinta-feira (11). “Esperamos que as empresas, até lá, optem por apresentar uma proposta”, disse Schuch. O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Charqueadas, Jorge Luiz Silveira de Carvalho “Luizão”, classificou a audiência como “frustrante” e revelou que vai se reunir com os trabalhadores em assembleia para definir uma posição para a próxima reunião. Luizão disse ainda que não descarta que os trabalhadores ocupem a empresa em Charqueadas. Mais de 200 trabalhadores envolvidos neste problema estiveram em frente ao Prédio do Tribunal de Justiça do Trabalho e ficaram revoltados com o resultado da reunião.