Charqueadas | Reajuste nos salários dos vereadores, secretários, vice-prefeito e prefeito terão custo superior a 200 mil reais aos cofres públicos

O impacto financeiro do reajuste nos salários dos vereadores, secretários, vice-prefeito e prefeito, aprovado na Câmara de Vereadores no dia 15 de maio será de R$ 205.932,70 até dezembro de 2018.

 

O impacto orçamentário-financeiro n° 010/2018 foi assinado pela secretária municipal de Fazenda, Adriana de Avila Lenzzi e encaminhado a Casa Legislativa na segunda-feira (21), atendendo ao pedido realizado pela vereadora Dra Rosângela Dornelles, através de ofício de gabinete n° 021/2018, datado de 16 de maio, que pleiteava descobrir os números após a aprovação do Projeto de Lei n° 018/18, ocorrido na sessão ordinária do dia anterior. A vereadora cobrava o impacto financeiro por parte do executivo que não estava anexado ao processo no momento que ocorreu a discussão e votação na Câmara.

 

No documento enviado ao Parlamento, está identificado o impacto mensal do reajuste, que será de R$ 25.742,00. Consta ainda, que o gasto com pessoal estimado com o projeto será de R$ 45.469,104,34 e comprometimento de 46,91% da Receita Corrente Liquida - RCL em 2018.

 

RELEMBRE O CASO – A Câmara de Vereadores de Charqueadas aprovou na terça-feira (15) uma reposição inflacionária de 1,69% nos salários dos parlamentares, secretários, vice-prefeito e prefeito. O índice de reajuste salarial utilizado para o calculo foi o INPC- Índice Nacional de Preços ao Consumidor, do período de maio/2017 a abril/2018. Segundo projeto aprovado pelo legislativo, o INPC é o índice inflacionário utilizado para correção da UPR- Unidade Padrão de Referencia, instituído pela Lei Municipal nº 43 de 14/12/1983, com alterações feitas pela Lei Municipal nº 1.119 de 23/03/2001. No documento apresentado na Casa Legislativa, consta ainda o índice de aumento salarial de 3,31% que totaliza o percentual acumulado de 5%.

 

A pauta gerou debate na Casa Legislativa e o presidente da Câmara, Ubiratan Amaral “Bira” suspendeu a sessão ordinária por cinco minutos. Após o recesso, a vereadora Dra Rosangela Dornelles pediu vistas do projeto, mas seu pleito não foi aprovado pelos demais parlamentares.

 

Na sequência dos trabalhos, o projeto foi aprovado por dez votos favoráveis, um contrário da vereadora Dra Rosangela Dornelles e uma abstenção do vereador Douglas Tramontini “Tio Xico”.