Charqueadas | Ases Educacional entrega avaliações do trimestre

A Ases Educacional de Charqueadas promoveu a entrega de avaliações do primeiro trimestre letivo de 2018. Na ocasião, no inicio de junho, os professores da entidade foram direcionados a ouvirem mais os pais, com o intuito de saberem a opinião dos responsáveis quanto à metodologia de ensino que está sendo aplicada.

 

A reportagem do Grupo Gazeta de Comunicação acompanhou a atividade, conversando com pais, professores e o diretor Alvares Naatz.

 

Karine Leote, mãe do Micael, estudante do 7º ano, revelou que esta muito satisfeita e encantada com a Ases. “A organização deles está de parabéns, até o Micael com 12 anos notou e relata isso”, disse.

 

Marilea Ávila, mãe da Gabriela Pacheco do 5º ano, informou que a filha está desde o 1º ano no Dimensão. “Acompanhamos a mudança para a Ases e era realmente o que esperávamos. Há uma integração entre pais, alunos e escola muito positiva. Os professores estão a par das dificuldades e acompanhando atenciosamente o crescimento dos alunos”, emendou.

 

Marcelo Noronha, pai da Maria Clara de Vargas da Silva, do 7º ano, também elogiou a escola nesse primeiro trimestre. “Tenho visto o método como positivo. Notei mudanças importantes no comportamento da Maria Clara, através da escola. Ela está mais prestativa para estudar, ler e acompanhar as matérias”, concluiu.

 

A coordenadora pedagógica da entidade, Fátima Vânia Reis da Rosa classificou o momento de entrega de avaliações como excelente. Segundo ela, a atividade serviu de oportunidade para acompanhar a opinião dos familiares quanto ao desenvolvimento dos filhos. “Viemos aqui para escutá-los.Essas informações coletadas pelos professores serão debatidas e uma nova reunião, onde vamos avaliar o que devemos melhorar e aprimorar a nossa metodologia que está dando certo”, resumiu.

 

Segundo o diretor, Alvares Naatz, o grupo estava direcionado a escutar. “Esperamos as críticas, que fazem a gente mudar. Queremos processar as informações e avaliar tudo que foi tratado. Todos nossos professores foram orientados a ouvirem. Questionamos tudo, postura dos educadores, acomodações físicas, metodologia”, concluiu.